Ciclo de permanência dos executivos nas empresas diminui


Sim, as relações de trabalho mudaram com o tempo. Nas décadas de 80 e 90, o relacionamento entre a empresa e o executivo era pautado na fidelidade.

Depois desse período, as empresas passaram a priorizar a aceleração do crescimento do negócio, enquanto os profissionais tinham como foco a ascensão da carreira. O resultado foram ciclos mais curtos de permanência de executivos nos cargos.

Essa é o tema da entrevista de Igor Schultz, sócio da FLOW, ao Portal Exame.

Para saber mais sobre os ciclos de permanência dos executivos nas empresas, leia pesquisa conduzida pela FLOW com mais de 500 profissionais.