O autor

Blog FLOW

Compartilhe

Gestão coletiva de Otto von Sothen coloca a Tigre na rota do crescimento


Otto von Sothen, CEO da Tigre desde 2013, escolheu o estilo de liderança baseado na gestão coletiva para transformar um negócio que, até então, tinha como premissa a confiança de que a gestão que dera resultados no passado também traria desempenho no futuro. Desde que chegou à companhia, o executivo tinha clareza da necessidade de ter um time disposto a repensar a empresa para perpetuá-la.

 

O primeiro passo dado para seguir neste caminho foi a construção de um ambiente propício para o estabelecimento da confiança. Confiança entre líderes e liderados e entre os membros das equipes. Sothen começou definindo os acordos que iriam reger a atuação dos milhares de colaboradores, eliminando qualquer possibilidade de haver uma harmonia artificial no grupo e garantindo que a busca pelos resultados coletivos fosse legítima.

 

Em paralelo, adotou atitudes que demonstravam sua determinação em promover mudanças na cultura corporativa. Usava o banheiro coletivo, vaga na mesma garagem destinada aos colaboradores e seu carro, disponibilizado pela empresa, tinha alguns anos de rodagem. “Levei três anos para estabelecer o elo de confiança dentro da companhia”, conta o executivo.

 

Esse foi o tempo de que precisou para transformar uma empresa tradicional em uma companhia que, recentemente, foi considerada uma das mais inovadoras no seu setor. Sothen redefiniu o modelo de negócio, traçou uma nova estratégia, criou processos comuns às operações da Tigre em cerca de 40 países, estabeleceu objetivos interdependentes e formou times multidisciplinares para romper barreiras funcionais e geográficas.

 

De desenvolvedora de produtos à provedora de soluções

 

O executivo também teve a preocupação de agregar propósito e proposta de valor ao negócio. Sob o comando de Sothen, a Tigre deixou de ser somente uma empresa de tubos e conexões e passou a atuar como uma provedora de soluções que envolvem condução e conservação da água. “Todos sabem o que precisa ser feito. Há comunhão de propósito, de visão e de metas”, garante.

 

Ele conta que a área de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), além de focar na melhoria de produtos que podem render patentes, também está direcionada a buscar inovação tecnológica para atender os anseios do consumidor. Outra iniciativa são as parcerias com universidades e empresas do ramo da construção civil. A Tigre compõe um grupo de companhias que se uniu a uma aceleradora para apoiar startups com soluções para o seu segmento.

 

Foi a partir deste projeto que a Tigre conheceu a BRWS, empresa de tratamento de água e efluentes que adquiriu no início de 2017, na intenção de fazer cumprir seu papel de provedora de soluções. Seguindo esse mesmo lema, a companhia também entrou no segmento de metais sanitários com a compra da Fabrimar, no final do ano passado.

 

Cada passo dado por Sothen e seu time comprovam que é possível ter como diferencial competitivo o trabalho em equipe, conforme preconizou Patrick Lencioni, em “Os cinco desafios das equipes”, livro de cabeceira de Sothen.

 

Conheça mais a gestão do CEO da Tigre nos vídeos produzidos exclusivamente para o FLOW Notes, o blog da FLOW:

Assumi o cargo de CEO. E agora?

 

Como envolver a liderança na nova gestão

Como formar times fortes

 

Como implementar uma gestão coletiva

 

De quanto tempo o CEO precisa para obter resultados de sua gestão

 

Desligamento na hora certa evita desgastes

 

Retenção de talentos

 

Quem é o profissional de alta performance