Treinar, treinar e treinar

Treinar, treinar e treinar

As constantes inovações no mercado de trabalho fomentam o movimento profissional de requalificação, caracterizados atualmente pelas ações de upskilling e reskilling

Por Luiz Gustavo Mariano

O desenvolvimento tecnológico rápido e constante e as inovações no mercado de trabalho estão fazendo com que duas palavras se tornem cada vez mais presentes no nosso vocabulário: upskilling e reskilling. Se você ainda não conhece esses dois termos e o que eles significam, é bom começar a prestar atenção.

Upskilling tem a ver com aprimorar habilidades em áreas que o profissional já atua. Já o reskilling ocorre quando a pessoa aprende novas competências para entender um setor no qual ele ainda não está familiarizado.

Tanto um como o outro dizem respeito a algo muito importante e bastante valorizado pelas empresas atualmente: o treinamento constante.

De acordo com o Citrix Talent Accelerator Report, 82% dos funcionários e 62% dos diretores de RH afirmam que, para alcançar vantagem competitiva, os trabalhadores precisam se requalificar ou aprimorar habilidades pelo menos uma vez por ano.

E quando se fala de requalificar ou aprimorar habilidades (ou seja, treinamento), estamos diante de uma situação de mão dupla: tanto o profissional quanto a empresa devem estar atentos a essa necessidade. O profissional deve mostrar aos seus superiores que está preocupado em aprender, e os líderes das companhias precisam olhar para o mercado (tanto para a concorrência como para empresas de outros setores) para identificar inovações e novas ferramentas que estão surgindo, capacitando os seus trabalhadores.

De um lado, o profissional agrega valor para ele mesmo e para a empresa. De outro, a empresa fica mais preparada para lidar com mudanças e não fica para trás em relação à concorrência.

Workplace Learning Report, capitaneado pelo LinkedIn, mostra que mais da metade (59%) dos profissionais das áreas de aprendizagem e desenvolvimento afirmam que as suas empresas estão priorizando projetos de educação em 2021. O número representa um aumento de 15% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Por que está havendo essa movimentação? Porque, como escrevi no início deste texto, as mudanças tecnológicas e as inovações estão forçando a requalificação dos profissionais. Em diversas áreas, está ficando cada vez mais difícil encontrar mão de obra qualificada, por isso o investimento em upskilling e reskilling.

Não tem jeito. Neste mundo em que o amanhã nos traz uma novidade em relação à realidade de hoje, três palavras são fundamentais para que um profissional tenha uma carreira produtiva e crescente: treinar, treinar, treinar.



Para mais conteúdos sobre Carreira, clique aqui e confira outras colunas no site da MyNews.

Your email address will not be published. Required fields are marked *